sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Bem fez a avó, que coou café nas anáguas


Caía a tarde, feito um gromérulo de Malpighi, quando Cadafalso Bostes colheu a última zaratustra na grande pedra do pontal da praia preso pela polícia do cu. Jamais houvera verão como aquele, em que jubartes com suas enormes e rodopiantes jumelas providenciaram alimento suficiente para a proliferação desenfreada das zaratustras, principal ingrediente de variados pratos da alta gastronomia de Vilcanota, cidadezinha do Texas, fedorenta feito cucu de marceneiro.
Voltando da praia, ao passar pela frente da casa de Japonês Preto (líder dos pescadores daquele arraial), foi brutalmente interpelado pelo dono da casa:

Assim, se vão as fibras de meu encardido cardigã jeitoso... deixareis aí mesmo essas iguarias ou terei que demover-vos da vileza a pontapés e beliscões badôdos na bundinha ruça?

Achando tudo aquilo muito estróina, muito trejeitudo, Cadafalso replicou:

O, my breath is a misery! Pula pra dentro que te ponho rigas, chanceler extremo de priapas nabas! Quando tu vai com o milho, já voltei com canja de cocó faz tempo!

Isso foi mais que suficiente pra despertar a ira de Japonês Preto, que, de um só golpe, decepou o pobre homem com uma lâmina de microscópio, espalhando pela calçada uma sopa de miolos, zaratustras, chutney de manga e crimes inafiançáveis, ainda na forma larval.
Prontamente arrependido, Kunta Katana (era seu apelido de infância, criado por amigos que ocasionalmente se serviam de seus boquetes aveludados, sob a sombra de uma joshua tree no fundo do quintal de um açougueiro) maldisse o dia em que nasceu, espargindo colostro de putinha sobre a fronte calva, rasgando seus andrajos poentos e piscando o cucu em direção a alfa-centauro, bradando fortemente:

Jurei com porra na língua, jurei com a mão sobre um trôço! Tyger! Tyger! Quem dorme é o leão!

E correu pela rua principal, até tropeçar numa poça de vômito de beata, e cair de nuca nos cascalhos lodosos em frente ao pelourinho, no exato momento que a população açoitava Carlinhos Brown e Lilian Witte Fibe, por serem adúlteros, leprosos e escrotos pra caralho.

2 comentários:

  1. Tyger! Tyger!!
    Isso me lembrou a facul!rs

    ResponderExcluir
  2. "chutney de manga e crimes inafiançáveis, ainda na forma larval."



    "chutney de manga e crimes inafiançáveis, ainda na forma larval."


    Meus bagos chegam a gritar na clasura de meu saco, Renée. Dê-me um ósculo de sétimo ou quinto céu e estamos conversados, mulato.

    ResponderExcluir